Nova Carteira de Identidade Nacional (CNI) substitui a CNH?

Novo documento é gratuito, válido em todo o território brasileiro e pode incluir dados como o número da carteira de motorista

Antigo RG permanece válido até fevereiro de 2032, mas a nova CIN pode ser solicitada a qualquer momento nos órgãos de identificação de cada Estado (Foto: Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul)

  Por Julia Vargas.

A nova Carteira de Identidade Nacional (CIN), que tem o CPF como número único de registro, já pode ser tirada em 24 estados brasileiros. Sua emissão é gratuita e o objetivo é que, no futuro, ela se torne um documento único. A CNI pode incluir dados do SUS,  do Bolsa Família,  do INSS,  do Número de Identificação Social-NIS e da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), por exemplo. Mas com essa inclusão, surge o questionamento: o cidadão pode conduzir um veículo portando somente a Carteira de Identidade Nacional? A resposta é: não.

De acordo com a Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran), a CIN não substitui a CNH. O órgão ainda reforçou o que está previsto no artigo 159 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB): é obrigatório o porte da Permissão para Dirigir ou da Carteira Nacional de Habilitação quando o condutor estiver à direção do veículo. 

A justificativa é que,  a CIN inclui apenas o número da carteira, enquanto o documento de habilitação apresenta outras informações importantes para fiscalização, como categoria a que o condutor está habilitado, prazo de validade, exames, e outros. A Senatran também informou que o porte do documento de habilitação só é dispensável quando for possível, no momento da fiscalização, verificar no sistema informatizado se o condutor está habilitado. 

O que tem de novo na CIN? Antes o RG era emitido por cada estado, que tinha seu próprio padrão de emissão. Agora, a nova identidade passa a ter padrão nacional, o que a torna o documento com mais com mais credibilidade no país, de acordo com o governo federal. A CIN está disponível tanto no formato físico, quanto no digital, sendo incluída no aplicativo gov.br. 

  O documento também conta com um QR Code que permite fácil checagem dos dados por órgãos públicos e privados. Além disso, por estar em conformidade com regras internacionais e possuir o mesmo código usado nos passaportes, a Carteira Nacional de Identidade pode ser aceita nos países em que o Brasil possui acordo de viagens como, por exemplo, os países do bloco do Mercosul. Nos demais países, a  identificação do cidadão, por meio do passaporte, permanece obrigatória. 

antigo RG não vale mais? O modelo antigo da Carteira de Identidade permanece válido até fevereiro de 2032, mas a nova CIN pode ser solicitada a qualquer momento nos órgãos de identificação de cada Estado e do Distrito Federal.

Fonte: https://autopapo.uol.com.br/noticia/carteira-de-identidade-nacional-nao-substitui-cnh/  





Compartilhar esta publicação
Nossos blogs
Arquivar